Igrejas-sinagogas, o caso da Igreja de S. João Baptista em Alcochete

Estimados leitores,

Porque razão as igrejas têm sinos e os templos hebraicos ou sinagogas não?

Possível explicação:

A net deu uma ajuda. As igrejas têm sinos porque estes servem para avisar os fiéis, que vivem mais longe na vila ou cidade, de que o culto se vai iniciar.

Com as sinagogas as coisas passam-se de forma diferente porque os serviços religiosos não se iniciam automaticamente. Estes só começam se existir Minjan (um quórum de 10 pessoas).

Se houver Minjan, tudo correrá bem,  se alguém se atrasar poderá entrar ou sair sem distúrbio, à vontade.  Além disso, haveria um problema com os sinos no Shabbat ou feriados, porque então tocar os sinos não seria permitido. Parece que são possíveis outros meios de avisar os fiéis: através do uso do shofar ou dos cornos, de acordo com a Bíblia Hebraica.

Assim, a existência ou não de torre sineira poderá ser um critério para avaliar se a igreja era ou não antes uma sinagoga (parece-me que uma mesquita não seria permitida pelo statuo quo cristão vigente na era da Reconquista, a menos que sofresse as alterações convenientes).

Na igreja de S. João Baptista de Moura, no local  já existia uma capela de invocação a S. João Baptista, provavelmente construída pela Ordem dos Cavaleiros de Jerusalém. No reinado de D. Manuel foi reconstruída em 1502 apresentando actualmente elementos característicos do estilo manuelino. O interior é constituído por 3 naves com quatro vãos de arcos ogivais. Na torre  existe um balcão com colunas góticas de ferro forjado e rodapés de azulejos polícromos do século XVI. (Presume-se que a torre é uma inovação do tempo de D. Manuel I).

Na igreja de S. João Baptista em Vila do Conde a igreja gótica e manuelina veio substituir uma anterior, da qual não existem vestígios.À semelhança de igreja de Caminha esta obra foi dirigida por sucessivos mestres da Biscaia. […] São posteriores as capelas e a torre sineira,  esta última construída  em 1573 por João Lopes  o Moço.

A igreja de S. João Baptista de Tomar, de finais do século XV tem um portal manuelino e no interior pinturas do século XVI. […]. Em 1510 documenta-se o final das obras e no ano seguinte concluía-se a estrutura da torre sineira. No ano de 1520 o rei D. Manuel decretou que a igreja fosse elevada a colegiada.

A igreja de S. João em Alcochete é um notável templo gótico-manuelino dedicado a S. João Baptista .Toda a arquitectura apresenta um estilo claramente gótico, remontando a sua possível fundação ao reinado de D. Fernando, no século XV. Contudo, são visíveis algumas modificações que se realizaram ao longo do tempo.e classificado como monumento nacional desde 16 de Junho de 1910 (por decreto). Da fachada há que destacar a rosácea, o portal e a torre manuelina. 

http://www.freguesiadealcochete.pt/PatImatriz.htm

Nestes quatro casos o rei D. Manuel I, ao tempo da expulsão dos judeus, dos progroms e dos assassinatos em massa, criou inovações nas igrejas, com a introdução das torres sineiras, de forma a substituir o culto nas sinagogas existentes enquanto obrigava à força a conversão dos seus fiéis hebraicos à religião católica, o mesmo aconteceu em Alcochete. A igreja matriz de Alcochete foi ela também um templo hebraico.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.